quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Saiba mais sobre as Fintas no Handebol

http://static.bolsademulher.com/sites/www.bolsademulher.com/files/styles/big-featured/public/dieta/beneficios-do-handebol-2.jpg?itok=lSl01qZn

É a ação que o jogador realiza, estando de posse da bola, para desviar a atenção do oponente numa direção falsa à aquela que se quer conseguir, causando assim, o desequilíbrio do mesmo.
 
A finta é utilizada quando se tem um opositor (seu par) pela frente para ser vencido. A finta deverá, além de vencer e superar o oponente direto, ser também executada como uma ação tática. O atacante procura vencer seu oponente dirigindo seu deslocamento para o espaço livre (entre dois adversários: par e ímpar) atraindo a atenção de seu ímpar beneficiando assim, seu companheiro lateral. Com esta ação o atacante poderá provocar o desequilíbrio defensivo facilitando a finalização.

Para isso são utilizados os:
  • DESLOCAMENTOS - Ação de mudar de um lugar a outro na quadra;
  • TROCA DE RITMO - Ação que possibilita aumentar ou diminuir a velocidade durante o deslocamento ou trajetória;
  • MUDANÇA DE DIREÇÃO - ação de mudar a trajetória de seu deslocamento.
As fintas tem como objetivo

* Desequilibrar o oponente direto (par);
* passar pelo adversário, estando de posse da bola;
* Provocar o desequilíbrio defensivo, desviando a atenção de seu ímpar;
* Conseguir situação de superioridade numérica;
* Atrair a atenção e fixar seu ímpar.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Excelente curso online de Handebol

Curso Handebol Básico


No curso de Handebol do Portal Educação, por meio da Educação a Distância, você conhecerá aspectos relacionados a regras, táticas e técnicas entre outros.

Saiba mais sobre esse Curso

Objetivos Específicos
  • Produzir o entendimento do valor educacional da prática do Handebol e da Iniciação Esportiva, como um fator de desenvolvimento educacional e da formação física, intelectual e social;
  • Conhecer e explorar as possibilidades de técnicas e táticas do handebol;
  • Oportunizar a prática do handebol promovendo assim a autossuperação individual e coletiva, promovendo o desenvolvimento motor, cognitivo e afetivo-social. E promover coletivamente com o grupo a interação e a socialização pela prática do esporte, handebol.


 Curso Handebol Básico


terça-feira, 20 de outubro de 2015

Músculos utilizados no Handebol

http://perlbal.hi-pi.com/blog-images/466465/gd/1258408429/ORGAOS-TRABALHADOS-NO-HANDEBOL.jpg

Estes são os músculos e as articulações do corpo humano que são mais exigidos aos praticantes de Handebol.

Os músculos inferiores: quadríceps, glúteos, tibial anterior e a panturrilha são exigidos o tempo todo em treinamentos e jogos de handebol, pois é devido a eles que ocorre toda a movimentação das pernas, corridas rápida e lentas, mudanças de direção, paradas bruscas e coordenação motora (três passos, saltos,  entre outros).

Já os músculos superiores: peitorais, deltóides, tríceps, rotatores de ombros, flexores de punho são os músculos que irão realizar os arremessos, giros de braços, passes, recepções...

Como podemos perceber, quase todas as articulações do corpo humano são utilizadas pelos praticantes de Handebol, são elas: articulações de joelhos, quadril, tornozelos, ombros, cotovelos e punhos.

Os músculos abdominais e vertebrais são necessários para a sustentação e equilíbrio do corpo humano e por isso são importantíssimos não só para o Handebol quanto para qualquer modalidade esportiva.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

3 exercícios para arremessos no Handebol


É um fundamento realizado sempre em direção ao gol. A maioria dos arremessos pode ser denominada "de ombro" e seguem basicamente a mesma descrição de movimento a seguir - a bola deve ser empunhada, palma da mão voltada para frente, cotovelo ligeiramente acima da linha do ombro, a bola deve ser levada na linha posterior a da cabeça e no momento do arremesso ser empurrada para frente com um movimento de rotação do úmero.
    Os arremessos podem ser classificados em função da forma de execução:
  • Com apoio - significa que um dos pés do arremessador ou ambos esteja(m) em contato com o solo.
  • Em suspensão - significa que no momento do arremesso não há apoio de nenhum tipo do arremessador com o solo.
  • Com queda - significa que após a bola ter deixado a mão do arremessador, o mesmo realiza uma queda, normalmente a mesma se dá dentro da área adversária e de frente - arremesso bastante comum entre os pivôs e eventualmente entre os pontas.
  • Com rolamento - significa que após a bola ter deixado a mão do arremessador, o mesmo realiza um rolamento, na maioria das vezes um rolamento de ombro. Este tipo de arremesso é mais comum entre os pontas4 e eventualmente por pivôs. 5
Drible - É o movimento de bater na bola contra o solo com uma das mãos estando o jogador parado ou em mo

Exercício 1: Arremesso com apoio parado

Descrição:
Posição Inicial: Todos os jogadores parados e espalhados atrás da linha de seis metros, de frente para o gol, sem goleiro.
Tarefa: Um aluno de cada vez deve arremessar a bola para o gol.
Variações:
  • Determinar o local para a realização do arremesso (exemplo: ângulo superior esquerdo).
  • Cinco alunos com uma bola distribuídos atrás da linha de seis metros (nos postos específicos ofensivos de pontas e armadores), ao sinal do professor ou técnico, todos devem arremessar a bola ao mesmo tempo.
  • Utilizar uma seqüência, onde cada jogador arremessa por vez, utilizando assim o goleiro.


Exercício 2: Arremesso com apoio com deslocamento

Descrição:
Posição Inicial: Uma coluna de jogadores nas posições do armador central, cada jogador com uma bola.
Tarefa: Realizar o arremesso, de forma livre, sem cobrar o ritmo trifásico. O arremesso pode ser realizado entre os nove e seis metros. Neste momento o professor pode corrigir a posição do cotovelo, bem como do pé de apoio no chão, que deve ser contrário ao braço de arremesso.
Variações:
  • Realizar arremessos alternando os braços.
  • Determinar o local que a bola deve atingir o gol (determinado pela divisão do gol em partes)
  • Aumentar a distância do arremesso, em relação ao gol.


Exercício 3: Arremesso em suspensão

Descrição:
Posição Inicial: Três filas nas posições de armador central, armador esquerdo e armador direito.
Tarefa: Cada jogador deve realizar o arremesso em suspensão. Neste momento o professor não deve interferir na forma de deslocamento do jogador (drible, ritmo trifásico). Ele apenas deve realizar as correções no apoio do pé que irá impulsionar o jogador para o arremesso em suspensão.
Variações:
  • Utilizar um cone (deitado) para o jogador pular durante a fase aérea do arremesso em suspensão.
  • Aumentar a distância do arremesso para o gol.
  • Variar as posições de arremesso, de acordo com a posição inicial.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

O drible no Handebol


O drible é um fundamento técnico utilizado como recurso que visa primariamente progredir em direção ao gol adversário. No handebol existem 2 tipos de dribles: o drible alto, utilizado para deslocamentos em grande velocidade e fundamental para um bom contra-ataque; o drible baixo, utilizado basicamente para a proteção de bola. Os principais objetivos do drible, além de melhorar a proteção e o deslocamento com a bola, são: fintar a defesa, sair da marcação e conquistar uma posição de arremesso favorável.
O drible é a ação de impulsionar e dirigir a bola em direção ao solo, uma ou mais vezes, sem perder o controle da mesma. O drible serve para progredir na quadra ou reter a bola em situação especial.

Existem variados tipos de dribles:

Drible de passe: você finge passar a bola e quica para entra na defesa

Giro de braço: você espera a defesa chegar e gira o braço por cima do defensor.

Cubana: essa finta você recebe a bola em movimento (no ar) caí com os dois pés juntos e conta como zero passo ai da os três passos em direção ao gol

Finta de arremesso: você pula pra arremessar e em vez de arremessar a bola no alto bate ao lado da costela adversaria, por isso também conhecido como quebra costela.

No trabalho de desenvolvimento do drible 2 problemas devem ser combinados na hora de elaborar e executar uma atividade: melhorar a técnica do drible ao mesmo tempo que dotar este fundamento de uma função tática dentro do contexto do jogo. É importante também conscientizar o jogador de que o drible somente deve ser utilizado quando realmente for necessário; isto é fato porque o drible no handebol não é a primeira opção de progressão. O uso dos 3 passos se constitui em uma grande vantagem para o jogador e por isso deve ser priorizado, sendo, portanto, a primeira opção.

Os principais erros observados na execução do drible e que devem ser corrigidos são: driblar olhando para a bola, driblar sem progredir, driblar sem uma função tática e driblar sem proteger a bola

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Saiba tudo sobre fundamentos no Handebol



    São movimentos fundamentais do handebol que são executados segundo um determinado gesto técnico que é a forma "correta" de execução de um movimento específico, descrito biomecanicamente. Por exemplo: O gesto técnico do passe de ombro no handebol - é a execução desse tipo de passe com o menor desperdício de energia, com a maior rapidez e velocidade, portanto com maior eficácia.
     A seguir descreveremos os diversos fundamentos do handebol.
Empunhadura - é a forma de segurar a bola de handebol com uma das mãos. A mesma deve ser segurada com as falanges distais dos cinco dedos abertos e com a palma da mão em uma posição ligeiramente côncava.
    Observações: os dedos devem abarcar a maior superfície possível da bola, os dedos devem exercer uma certa força (pressão) na bola para que ela esteja bem segura. Sendo que a pressão exercida pelos dedos polegar e mínimo é muito importante para o êxito da empunhadura.
Recepção - Deve ser feita sempre com as duas mãos paralelas e ligeiramente côncavas voltadas para frente. Recentemente os atletas utilizam-se comumente também da recepção com uma das mãos. Então, apesar da literatura específica sobre o método parcial haver considerado esse uso habitual recente como um erro, a prática atual e sua eficiência em diversas situações têm nos dado os elementos necessários para indicarmos o ensino e treinamento da recepção com uma das mãos como um elemento necessário para o jogo de handebol. A recepção pode ser classificada em: alta, média e baixa dependendo da altura que a bola seja recepcionada.
Passes - São movimentos que permitem a bola ir de um jogador a outro, desta forma ele necessita sempre da interdependência de no mínimo duas pessoas. Os tipos de passes podem ser classificados da seguinte maneira:
  • Passes acima do ombro: podem ser realizados em função da trajetória da bola para frente ou oblíquo, sendo que ambos podem ser: retificado ou bombeado.
  • Passes em pronação: lateral e para trás.
  • Passes por de trás da cabeça: lateral e diagonal.
  • Passes por de trás do corpo: lateral e diagonal.
  • Passe para trás: na altura da cabeça com extensão do pulso.
  • Passe quicado: quando a bola toca o solo uma vez antes de ser recepcionado pelo companheiro, nesse tipo de passe a bola é atirada ao solo em trajetória diagonal.
    Greco & Ribas (1998) apresentam o passe em trajetória parabólica.
    Nem todos os passes acima descritos foram apresentados pela literatura específica do método parcial do ensino do handebol. A literatura apresentava até meados de 1990 apenas os seguintes tipos de passes no handebol: acima do ombro, por trás da cabeça - sem as classificações em função de trajetórias, por trás do corpo - também sem as classificações em função de trajetórias e o passes quicado. A respeito do passe de ombro, a literatura não incluía os passes retificado e bombeado como uma variação do passe de ombro.
Arremesso - É um fundamento realizado sempre em direção ao gol. A maioria dos arremessos pode ser denominada "de ombro" e seguem basicamente a mesma descrição de movimento a seguir - a bola deve ser empunhada, palma da mão voltada para frente, cotovelo ligeiramente acima da linha do ombro, a bola deve ser levada na linha posterior a da cabeça e no momento do arremesso ser empurrada para frente com um movimento de rotação do úmero.
    Os arremessos podem ser classificados em função da forma de execução:
  • Com apoio - significa que um dos pés do arremessador ou ambos esteja(m) em contato com o solo.
  • Em suspensão - significa que no momento do arremesso não há apoio de nenhum tipo do arremessador com o solo.
  • Com queda - significa que após a bola ter deixado a mão do arremessador, o mesmo realiza uma queda, normalmente a mesma se dá dentro da área adversária e de frente - arremesso bastante comum entre os pivôs e eventualmente entre os pontas.
  • Com rolamento - significa que após a bola ter deixado a mão do arremessador, o mesmo realiza um rolamento, na maioria das vezes um rolamento de ombro. Este tipo de arremesso é mais comum entre os pontas4 e eventualmente por pivôs. 5
Drible - É o movimento de bater na bola contra o solo com uma das mãos estando o jogador parado ou em movimento.
Ritmo Trifásico - (conhecido entre os atletas como "3 passadas") é considerado pela literatura específica do método parcial como um fundamento onde o jogador dá três passos à frente e em direção a meta adversária com a posse da bola.
Duplo Ritmo Trifásico - (conhecido entre os atletas como "dupla passada") é considerado pela literatura específica do método parcial como um fundamento onde o jogador dá "sete" passos com a posse da bola, sendo obrigatoriamente realizados à frente, da seguinte forma: os três primeiros passos são dados com a posse da bola imediatamente após ter recebido a mesma, e simultaneamente na execução do quarto passo o jogador terá que quicar a bola no solo uma vez, tornar a empunhá-la e dar mais três passos com a bola dominada. Ao final do sétimo passo ele terá obrigatoriamente que passar ou arremessar a bola. A literatura indica que o primeiro passo deverá ser executado com a perna contrária ao braço que realizará o arremesso.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Dois exercicios para passe no Handebol



São movimentos que permitem a bola ir de um jogador a outro, desta forma ele necessita sempre da interdependência de no mínimo duas pessoas. Os tipos de passes podem ser classificados da seguinte maneira:
  • Passes acima do ombro: podem ser realizados em função da trajetória da bola para frente ou oblíquo, sendo que ambos podem ser: retificado ou bombeado.
  • Passes em pronação: lateral e para trás.
  • Passes por de trás da cabeça: lateral e diagonal.
  • Passes por de trás do corpo: lateral e diagonal.
  • Passe para trás: na altura da cabeça com extensão do pulso.
  • Passe quicado: quando a bola toca o solo uma vez antes de ser recepcionado pelo companheiro, nesse tipo de passe a bola é atirada ao solo em trajetória diagonal.
    Greco & Ribas (1998) apresentam o passe em trajetória parabólica.
    Nem todos os passes acima descritos foram apresentados pela literatura específica do método parcial do ensino do handebol. A literatura apresentava até meados de 1990 apenas os seguintes tipos de passes no handebol: acima do ombro, por trás da cabeça - sem as classificações em função de trajetórias, por trás do corpo - também sem as classificações em função de trajetórias e o passes quicado. A respeito do passe de ombro, a literatura não incluía os passes retificado e bombeado como uma variação do passe de ombro.

Passes/recepção

Exercício 1: Passe acima do ombro na parede

Descrição:
Posição Inicial: O exercício será realizado individualmente, ficando o jogador de frente para a parede, a qual realizará o passe.
Tarefa: Lançar a bola contra a parede e recebê-la novamente. Neste momento o professor deve individualmente realizar correções, principalmente sobre a posição do cotovelo, que deve estar ligeiramente acima da linha do ombro.
Variações:
  • Realizar o passe com ambas as mãos, notando a diferença entre as duas.
  • Realizar neste mesmo exercício o passe picado, onde a bola deve bater no solo, depois na parede e retornando à mão do jogador logo em seguida.
  • Determinar alvos na parede (círculos desenhados) para treinar a precisão do passe.


Exercício 2: Passe acima do ombro em duplas

Descrição:
Posição Inicial: O exercício será realizado em duplas. Os jogadores devem se posicionar de frente, um para o outro, à uma distância de aproximadamente quatro metros.
Tarefa: Realizar o passe para o outro jogador e recebê-la novamente. Neste momento o professor deve individualmente realizar correções, principalmente sobre a posição do cotovelo, que deve estar ligeiramente acima da linha do ombro. Como o passe ainda não estará sendo realizado com perfeição, é interessante abordar as formas de recepção, para que o aluno a realize, independente da posição em que ela for recebida(alta, média e baixa).
Variações:
  • Realizar uma série de passes com a mão direita e outra série com a mão esquerda, notando a diferença entre as duas.
  • Realizar neste mesmo exercício o passe quicado, onde a bola deve bater no solo.
  • Aumentar a distância entre a dupla.
  • Determinar o local onde a bola deve ser recepcionada.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...